ARTE, FEMINISMO E PSICANÁLISE

O que a psicanálise pode apreender da criação artística de mulheres contemporâneas?

Estas produções surgem de uma série de convites de mulheres para falar do sempre inacabado tornar-se mulher. De passeios por exposições, museus, teatros, flamenco e arte na rua.

Surge também inspirada em Sabina Spielrein, psicanalista, mulher, inventora do conceito de pulsão de morte em seu magistral ensaio: "A destruição como causa do devir". Um ensaio que perpassa de ponta a ponta minha tese de doutorado,  e que permite pensar na destruição implicada na criação. Um percurso de descoberta de que sem arriscar um pouco e sem o apoio de muitos, não se cria nada nessa vida.

Flamenco feminista?

Publicado em

A potência de uma análise feminista interseccional à vivência flamenca contemporânea. Seguindo a série de lives com lema “educar é educar-se”, Priscila participou deste debate […]

Mulheres Inventadas

Publicado em

Palestra realizada na Associação Psicanalítica de Curitiba – APC, na companhia da artista, curadora e idealizadora de Mulheres Inventadas, Nicole Lima e das psicanalistas Cláudia […]